Páginas

MENU

Menu Deslizante

PAI NOSSO

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, VEM A NÓS O VOSSO REINO, SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE, PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO MAS LIVRAI-NOS DO MAL. AMÉM.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

A INTERCESSÃO DE MARIA É TÃO PODEROSA QUE MERECE O TÍTULO DE ONIPOTÊNCIA SUPLICANTE

A Onipotência Suplicante de Maria
A intercessão de Maria é tão poderosa que merece o título de Onipotência Suplicante. Maria tudo alcança pela sua intercessão. Ela sabe como pedir a Jesus. A sua intercessão deve ser pedida por todas as pessoas e em todos os lugares. Quem quiser vitórias em sua vida pode estar certo que não há meio mais fácil do que confiar no poder da intercessão de Maria Santíssima. São Luís Maria Grignion de Montfort nos ensina:
“O Pai não deu nem dá seu Filho senão por Ela, não suscita novos filhos senão por Ela, e não comunica as suas graças senão por Ela. Deus Filho não foi formado para todos em geral senão por Ela; não é formado e gerado todos os dias(nas almas), em união com o Espírito Santo , e não comunica os Seus méritos e virtudes, a não ser por Ela. O Espírito Santo não formou Jesus Cristo senão por meio d’Ela, e não forma os membros do seu Corpo Místico, a não ser por Ela; não dispensa os Seus dons e favores senão por Ela.”
A intercessão de Maria é eficaz para que o nosso pedido seja atendido. São Bernardo os ensina que: “Se tu não mereces a graça solicitada a Deus, bem a merece Maria que ela se empenhará”. A intercessão de Maria é poderosa, pois Ela é olhada com graça diante de Deus.
Pedir a intercessão de Maria é um gesto de obediência à Deus, pois Ele quer que peçamos a Maria aquilo que precisamos. Foi Jesus quem consagrou a humanidade à maternidade de Maria. A palavra nos fala que:
“Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.”(João 19, 26-27).
            Quem não obedece a ordem de Jesus(acolher a maternidade de Maria) não pode realmente ser um fiel cristão. O filho pede tudo o que precisa para a Mãe. Da mesma forma, devemos pedir tudo o que necessitarmos para Maria, pois sua intercessão é poderosa. Foi Jesus quem pediu para que João acolhesse Maria e também que Maria o recebesse como filho. Assim também, Ele quer que recebamos a maternidade de Maria em nosso coração. Amar Jesus é fazer a sua vontade e fazer a Sua vontade é pedir a intercessão de Maria sempre.
O papa João Paulo II nos ensina: “Afirmando que Maria é «para nós mãe na ordem da graça», o Concílio põe em relevo que a sua maternidade espiritual não se limita só aos discípulos, como se se devesse interpretar em sentido restritivo a frase pronunciada por Jesus no Calvário: «Mulher, eis aí o teu filho» (Jo 19, 26). Com essas palavras, com efeito, o Crucificado, estabelecendo uma relação de intimidade entre Maria e o discípulo predileto, figura-modelo em escala universal, queria oferecer a Sua mãe como mãe a todos os homens.
Maria intercede como mãe. Ela sabe exatamente o que é bom para cada filho e só pedirá a Jesus aquele pedido que estiver unido à Sua Vontade. Maria indica sempre o caminho a seguir. Por isso, sempre que quisermos encontrar o Cristo precisamos do auxílio de Maria Santíssima. A vida de Maria é uma bussola que nos leva sempre até Jesus. Maria é um modelo perfeito de virtudes e podemos aprender com Ela a seguir fielmente o caminho de Cristo. Acolha Maria em sua vida e certamente encontrará Jesus. Através de sua intercessão estamos certos que não nos perderemos em nossa caminhada. Também é valiosa a ajuda dos santos, pois a intercessão deles será preciosíssima para que sejamos não apenas servos, mas mais do que isto: amigos de Jesus. 
Pedir a intercessão de Maria Santíssima é cumprir os mandamentos de Deus. Quem quer ser perfeito no cumprimento da lei de Deus precisa honrar Maria. Para obedecermos fielmente ao 4º mandamento(honrar pai e mãe) nós precisamos exaltar Maria e honrá-la com uma vida santa. Aquele que diz amar os mandamentos de Deus precisa lembrar que amar Maria é essencial, pois só poderemos dizer que amamos a Deus sobre todas as coisas se dedicarmos atenção especial à sua Mãe e só poderemos cumprir o quarto mandamento se honrarmos nossa Mãe querida(Maria Santíssima) com uma vida santa e confiarmos em sua doce  intercessão.
São Luís Grignion de Montfort nos ensina sobre a importância da intercessão de Maria. Vejamos:
“É tão caridosa que não repele nenhum dos que pedem a sua intercessão, por mais pecador que seja. Pois, como dizem os santos, desde que o mundo é mundo, nunca se ouviu dizer que alguém que tenha recorrido à Santíssima Virgem, com confiança e perseverança, tenha sido por Ela desamparado. Ela é tão poderosa que nunca foi desatendida nas suas súplicas.  Basta que se apresente diante de seu Filho para lhe pedir alguma coisa: Ele imediatamente a atende e acolhe, amorosamente vencido pelas orações de sua querida Mãe.”  
A palavra de Deus é clara: “A oração do humilde penetra as nuvens; ele não se consolará, enquanto ela não chegar (a Deus), e não se afastará, enquanto o Altíssimo não puser nela os olhos.” (Eclesiástico 35, 21) Quando pedimos a intercessão de Maria temos a certeza que o nosso pedido chegará com doçura à presença de Deus e também com perfeita humildade. Maria não se cansará de rogar por nós até que consigamos aquilo que tanto precisamos para sermos mais próximos de Cristo. O pedido de Maria é tão cheio de doçura e de humildade que Jesus está sempre disposto a Lhe atender, por isso Maria pede sempre aquilo que está conforme a vontade de Deus.  
É diferente pedir a Deus por nós mesmos e por meio de Maria tal como é diferente um bandido pedir algo ao juiz e a mãe deste lhe pedir o mesmo favor. O juiz sempre ouvirá sua querida mãe e buscará atender o seu pedido. Sendo assim, precisamos reconhecer uma coisa: nós precisamos de Maria. Sem Ela nós nos apresentamos como um bandido(por causa do pecado) na presença do justo juiz(Deus), mas quando a Imaculada(Maria Santíssima) vai à frente temos a certeza que o nosso pedido será acolhido com agrado diante de Deus. É certo que Jesus é misericordioso e mesmo que nós tenhamos muitos pecados podemos pedir diretamente a Ele, mas é muito mais humildade e sábio confiar à Maria aquilo que precisamos, pois Deus assim o quer. Por isso, peça sempre a intercessão da Santa Mãe de Deus.
Fonte: A verdadeira devoção à Sagrada Família. Fernando Dalvi Norbim. Palavra de Esperança. 2013. 













quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

VALORIZE O SOFRIMENTO

Nenhum de nós gosta de sofrer, mas o sofrimento faz parte da vida; não há uma pessoa sequer na face da terra que não tenha de conviver com a dor e a angústia; logo, aprender a sofrer é aprender a viver. A paz não consiste em não ter contrariedades, mas em saber, com humildade e resignação, aceitá-las e enfrentá-las. A primeira atitude diante de qualquer sofrimento é a atitude mental; muitas vezes, nós aumentamos o nosso sofrimento com um pensamento negativo e pessimista. Acho que você já notou que o mesmo sofrimento para um é muito pesado, enquanto para outro pode ser fácil de ser vencido.

Da mesma forma que não há montanhas altas sem névoas, assim também não há homem superior sem caluniadores. O que importa é não dar ouvidos a essas calúnias. Não pare a sua caminhada para atirar pedras nos cães que ladram, senão você pode atrasar a sua chegada. Sabemos que somente as árvores que têm frutos é que são sacudidas ou apedrejadas em busca de alimentos. Ninguém atira pedras em árvores sem frutos. As perseguições não atingem a alma quando são injustas ou falsas.

Frequentemente, as coisas que consideramos "más" são as que tornam boas as coisas boas. Como poderíamos reconhecer o prazer sem a dor? Sem o conforto, como poderíamos estar confortáveis? Se não houvesse escuridão, como saberíamos o que é a luz? Sem ignorância, qual seria o valor do conhecimento?

Em todas as direções e em todas as situações, a vida tem significado. Em todo lugar existe a oportunidade da realização. Em vez de amaldiçoar a escuridão, acenda um fósforo, aprecie a luz que as trevas tornam possível.

As únicas desgraças completas são aquelas com as quais nada aprendemos. Cada lágrima ensina-nos uma verdade.

É preciso sempre se lembrar de que não pode haver sucesso sem luta e, às vezes, sofrimento. O sofrimento não é obra de Deus; ele existe por causa de nossa fraqueza e dos pecados dos homens. Mas Cristo o transformou em matéria-prima de nossa salvação. Paul Claudel disse que "Cristo não veio abolir o sofrimento, nem mesmo explicá-lo; mas veio trazer-lhe a plenitude da sua presença". Por isso, quem sofre com Cristo, sofre em paz.

Deus nos fala pelas circunstâncias e pelos acontecimentos difíceis da vida. Quando analiso o meu passado, vejo que tudo o que me aconteceu foi para o meu bem. O sofrimento é inseparável do amor, como a rosa o é do espinho. Não tenha medo das adversidades nem das contrariedades.

É comum nos sentirmos desencorajados e até desesperados quando as coisas vão mal. Mas Deus age em nosso beneficio, mesmo nos momentos de dor e sofrimento.

"Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus" (Romanos 8, 29)

( Trecho extraído do livro "Para ser feliz" - Editora Cléofas)

Felipe Aquino

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

ORAÇÃO ANTE UMA IMAGEM DO SAGRADO CORAÇÃO.

Oh! amantíssimo Jesus, como expressão de minha gratidão e em satisfação de meus pecados eu, N…, vos dou meu coração.
Me consagro inteiramente a Vós e me proponho nunca mais ofender-vos ou desprezar vossa santa graça. Amém.
ATO DE CONSAGRAÇÃO INDIVIDUAL
AO SACRATÍSSIMO CORAÇÃO DE JESUS.
( De Santa Margarida Maria Alacoque )
Eu (o seu nome), Vos dou e consagro, oh Sagrado Coração de Jesus Cristo, a minha vida, as minhas ações, penas e sofrimentos, para não querer mais servir-me de nenhuma parte do meu ser, senão para Vos honrar, amar e glorificar. É esta a minha vontade irrevogável: ser todo Vosso e tudo fazer por Vosso amor, renunciando de todo o meu coração a tudo quanto Vos possa desagradar.
Tomo-Vos, pois, ó Sagrado Coração, por único bem do meu amor, protetor da minha vida, segurança da minha salvação, remédio da minha fragilidade e da minha inconstância, reparador de todas as imperfeições da minha vida e meu asilo seguro na hora da morte.
Sê, ó Coração de bondade, a minha justificação diante de Deus, Vosso Pai, para que desvie de mim a Sua justa cólera.
Ó Coração de amor, deposito toda a minha confiança em Vós, pois tudo temo de minha malícia e de minha fraqueza, mas tudo espero de Vossa bondade! Extingui em mim tudo o que possa desagradar-Vos ou que se oponha à Vossa vontade.
Seja o Vosso puro amor tão profundamente impresso em meu coração, que jamais possa eu esquecer-Vos nem separar-me de Vós. Suplico-Vos que o meu nome seja escrito no Vosso Coração, pois quero fazer consistir toda a minha felicidade e toda a minha glória em viver e morrer como Vosso escravo. Amém.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

AS DOZE PROMESSAS DO SAGRADO CORAÇÃO.

A SANTA MARGARIDA MARIA ALACOQUE.
1-A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de meu Sagrado Coração.
2-Eu darei aos devotos do meu Coração todas as graças necessárias a seu estado.
3-Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias.
4-Eu os consolarei em todas as suas aflições.
5-Serei seu refúgio seguro na vida, e principalmente na hora da morte.
6-Lançarei bênçãos abundantes sobre todos os seus trabalhos e empreendimentos.
7-Os pecadores encontrarão em meu Coração fonte inesgotável de misericórdias.
8-As almas tíbias se tornarão fervorosas pela prática dessa devoção.
9-As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição.
10-Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais empedernidos.
11-As pessoas que propagarem esta devoção terão os seus nomes inscritos para sempre no meu Coração.
12-A todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna.











quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

A RIQUEZA E A PROPRIEDADE SÃO BOAS QUANDO AJUDAM OS OUTROS


O papa escreve o prefácio do livro "Pobre e para os pobres: a missão da Igreja", escrito pelo cardeal Müller
O papa Francisco escreveu o prefácio do livro “Povera per i poveri. La missione della Chiesa” [Pobre e para os pobres: a missão da Igreja], do cardeal Gerhard Müller, que será apresentado na próxima terça-feira. No prólogo, o Santo Padre fala sobre a pobreza não somente econômica, mas também social e moral, e nos convida a usar os bens não apenas para a satisfação das nossas próprias necessidades, mas também para ajudar as outras pessoas a “produzir frutos”. O papa afirma que a pobreza pode ser entendida como um recurso quando nos leva à solidariedade, a ponto de Jesus tê-la transformado em uma bem-aventurança.
“O dinheiro é um instrumento que, de alguma forma, como a propriedade, prolonga e aumenta a capacidade da liberdade humana”. Por isso, ele permite “agir no mundo, atuar e gerar fruto”. Mas o dinheiro é também um meio que afasta o homem do homem, encerrando-o num horizonte egoísta. O prefácio do livro do cardeal Müller foi publicado hoje pelo principal jornal italiano, o Corriere della Sera.
O Santo Padre cita, no prefácio, uma palavra aramaica que Jesus usa no evangelho, “mammona”, ou seja, “tesouro escondido”, e recorda que os bens “mantidos só para nós mesmos, escondidos dos outros, produzem iniquidade”. Ele cita ainda o termo grego usado por São Paulo, “arpagmos”, como um bem “guardado zelosamente para si mesmo, ou pior, como fruto do que foi roubado de outros”.
O papa também ressalta que a palavra “pobreza”, no mundo ocidental, é reduzida simplesmente a sinônimo de “mal-estar”, relacionando-se com a falta de poder econômico, o que significa irrelevância de poder político, social e humano, a ponto de que “aquele que não possui dinheiro só é levado em consideração na medida em que pode servir para outras finalidades”.
Isto ocorre quando o homem, “tendo perdido a esperança no transcendente”, “perde também a alegria da gratuidade”, de “fazer o bem pela simples beleza de fazer o bem”.
Francisco destaca que “a tarefa dos cristãos é redescobrir, viver e anunciar a todos esta preciosa e original unidade entre o ganho e a solidariedade”, e sublinha que, quanto mais o mundo contemporâneo descobrir esta verdade, mais se resolverão tantos problemas econômicos existentes hoje.
Nesta panorâmica, Bergoglio precisa que “não existem somente as pobrezas relacionadas com a economia. Jesus mesmo nos lembra, como advertência, que a nossa vida não depende apenas dos nossos bens”.
O Santo Padre fala da necessidade de solidariedade que todos experimentamos desde crianças. Primeiro, das atenções e cuidados dos pais; depois, em cada etapa da vida, sentimos a necessidade da ajuda de alguém, porque ninguém “conseguirá nunca afastar de si o limite da impotência diante de algo ou de alguém”.
Nesta ótica, a pobreza não deve ser sentida como uma limitação, mas como um recurso, já que o que é dado se transforma em um dom que é vantajoso para todos. E “esta é a luz positiva com que o evangelho nos convida a olhar para a pobreza” e o “porquê de Jesus a ter transformado em uma bem-aventurança”.









COMO PLENITUDE DE INTIMIDADE COM DEUS

 Da Audiência de JOÃO PAULO II - 21 julho 1999
Queridos irmãos e irmãs,
1. Quando houver passado a figura deste mundo, aqueles que acolheram Deus na sua vida e se abriram com sinceridade ao seu amor, pelo menos no momento da morte, poderão gozar daquela plenitude de comunhão com Deus, que constitui a meta da existência humana. Como ensina o Catecismo da Igreja Católica, "esta vida perfeita, esta comunhão de vida e de amor com a Santíssima Trindade, com a Virgem Maria, com os anjos e todos os bem-aventurados chama-se "Céu". O Céu é o fim último e a realização das aspirações mais profundas do homem, o estado de felicidade suprema e definitiva" (n. 1024).
Queremos hoje procurar captar o sentido bíblico do "céu", para podermos compreender melhor a realidade a que esta expressão remete.
2. Na linguagem bíblica o "céu", quando está unido à "terra", indica uma parte do universo. A respeito da criação, a Escritura diz: "No princípio, Deus criou os céus e a terra" (Gn 1, 1).
No plano metafórico o céu é entendido como morada de Deus, que nisto se distingue dos homens. Do alto do céu Ele vê e julga, e desce quando é invocado por nós (cf. Sl 18, 7.10; 144,5). Contudo, a metáfora bíblica dá a entender que Deus nem Se identifica com o céu nem pode estar encerrado no céu (cf. 1 Rs 8, 27); e isto é verdadeiro, apesar de em algumas passagens do primeiro livro dos  Macabeus "o Céu" ser simplesmente um nome de Deus (1 Mac 3, 18-19. 50 e 60; 4, 24-55).
À representação do céu, como morada transcendente de Deus vivo, acrescenta-se a de lugar, ao qual também os crentes podem chegar, por graça, como mostram no Antigo Testamento as histórias de Henoc (cf. Gn 5, 24) e de Elias (cf. 2 Rs 2, 11). Assim, o céu torna-se figura da vida em Deus.
Neste sentido, Jesus fala de "recompensa nos céus" (Mt 5, 12) e exorta a "acumular tesouros no céu" (Ibid. 6, 20; cf. 19,21).
3. O Novo Testamento aprofunda a idéia do céu também em relação ao mistério de Cristo. Para indicar que o sacrifício do Redentor adquire um valor perfeito e definitivo, a Carta aos Hebreus afirma que Jesus "atravessou os céus" (Hb 4, 14)  e "não entrou em um santuário feito por mão de homem, uma reprodução do verdadeiro, mas no próprio Céu" (Ibid., 9, 24). Logo, os crentes enquanto são amados de modo especial por parte do Pai, ressuscitam com Cristo e tornam-se cidadãos do céu.
Vale a pena escutar quanto o apóstolo Paulo nos comunica a este respeito num texto de grande intensidade: "Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, estando nós mortos pelos nossos delitos, deu-nos a vida juntamente com Cristo. É pela graça que fostes salvos.
Com Ele nos ressuscitou e nos fez sentar nos Céus, em Cristo Jesus, para mostrar aos séculos futuros a extraordinária riqueza da sua graça, pela bondade que teve para conosco em Cristo Jesus" (Ef 2, 4-7).
A paternidade de Deus, rico em misericórdia, é experimentada pelas criaturas através do amor do Filho de Deus, crucificado e ressuscitado, o qual como Senhor, está sentado nos céus à direita do Pai.
4. A participação na completa intimidade com o Pai, depois do percurso da nossa vida terrena, passa portanto através da inserção no mistério pascal de Cristo. São Paulo ressalta com viva imagem espacial este nosso caminhar rumo a Cristo nos céus, no fim dos tempos: "Depois nós, os vivos que ficamos, seremos arrebatados juntamente com eles (os mortos ressuscitados); iremos ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, portanto, uns aos outros, com estas palavras" (1 Ts 4, 17-18).
No contexto da Revelação sabemos que o "céu", ou a "bem-aventurança" na qual nos encontraremos, não é uma idéia abstrata, nem sequer um lugar físico entre as nuvens, mas uma relação viva e pessoal com a Santíssima Trindade. É o encontro com o Pai que se realiza em Cristo ressuscitado, graças à comunhão do Espírito Santo.
Deve-se manter sempre uma certa sobriedade ao descrever estas "realidades últimas", dado que a sua representação resulta sempre inadequada. Hoje, a linguagem personalista consegue refletir de maneira menos imprópria, a situação de felicidade e de paz em que nos estabelecerá a comunhão definitiva com Deus.
O Catecismo da Igreja Católica sintetiza o ensinamento eclesial acerca desta verdade, afirmando que "pela sua morte e ressurreição, Jesus Cristo "nos abriu" o céu. A vida dos bem-aventurados consiste na posse, em plenitude, dos frutos da redenção operada por Cristo, que associa à sua glorificação celestial aqueles que n'Ele acreditaram e permaneceram fiéis à sua vontade. O Céu é a comunidade bem-aventurada de todos os que estão perfeitamente incorporados n'Ele" (n. 1026).
Estamos conscientes de que enquanto caminhamos neste mundo, somos chamados a buscar "as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus" (Cl 3,1), para estarmos com Ele na realização escatológica, quando no Espírito Ele reconciliar totalmente com o Pai todas as coisas, "tanto as da terra como as do céu" (Ibid., 1,20).
SAUDAÇÕES...

CORAÇÕES DE JESUS E DE MARIA

Consagração da Família aos Sagrados Corações de Jesus e Maria
Santíssimos corações de Jesus e Maria,
unidos no amor perfeito,
como nos olhais com carinho e misericórdia,
consagramos nossos corações,
nossas vidas, e nossas famílias a Vós.
Conhecemos que o belo exemplo
de Vosso lar em Nazaré foi um modelo
para cada uma de nossas famílias.
Esperamos obter, com Vossa ajuda,
a união e o amor forte e perdurável
que vos destes.
Que nosso lar seja cheio de alegria.
Que o afeto sincero, a paciência, a tolerância,
e o respeito mútuo sejam dados livremente a todos.
Que nossas orações
incluam as necessidades dos outros,
não somente as nossas.
E que sempre estejamos próximos dos sacramentos.
Abençoai a todos os presentes
e também aos ausentes,
tantos os vivos como os defuntos;
que a paz estejam conosco,
e quando formos provados,
concedei a resignação cristã
à vontade de Deus.
Mantende nossas famílias perto
de Vossos Corações;
que Vossa proteção
especial esteja sempre conosco.
Sagrados Corações de Jesus e Maria,
escutai nossa oração.
Amém.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O BARULHO DE UMA FLORESTA QUE CRESCE

O cardeal Angelo Bagnasco invoca ao Senhor, pede trabalho para os jovens, uma boa educação escolástica e promoção da família, para que a floresta boa e silenciosa tenha mais voz do que as árvores que caem ruidosamente
"Gostaríamos de dizer ao mundo moderno que Deus tem a ver com a vida, não está distante e indiferente, não é inimigo obscuro da alegria mas é a fonte perene dela, não é concorrente ciumento da liberdade mas é a mais segura garantia dela”.
Foi o que disse ontem à tarde o cardeal Angelo Bagnasco durante as palavras no Conselho Permanente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), que está acontecendo em Roma (27-30 de janeiro).
O presidente da Conferência Episcopal dos Bispos reafirmou sua proximidade com a comunidade.
"Nós - disse ele – conhecemos a vida das pessoas, e queremos testemunhar a dignidade, o sentido da família, a capacidade de dedicação e de sacrifício, a bondade muitas vezes heroica de cada dia”.
"Continuamos admirados pela sua fé humilde e simples”, e queremos – destacou – “que esta floresta boa e silenciosa tivesse mais voz do que as árvores que caem barulhentas”.
De acordo com o arcebispo de Gênova a fé e a bondade difundidas na Itália, têm "raízes profundas e antigas", que nascem com os apóstolos e se alimentam com a oração, os sacramentos e a caridade para com os mais fracos.
Estas são as virtudes que inspiram a devoção popular, um sinal de um "sentir" religioso difundido que é um verdadeiro patrimônio da Itália.
Renovando a relação entre evangelização e promoção humana, o cardeal Bagnasco disse que os bispos não podem abster-se de dizer uma palavra sobre o contexto social, e por isso é uma obrigação “dar voz a muitos que não têm voz, mas que são o tecido conectivo do País com o seu trabalho, a dedicação, a honestidade”.
Neste contexto os Bispos querem testemunhar a bondade e a seriedade que em grande parte inspiram o ethos profundo das pessoas, das famílias, de muitas instituições.
"A Itália -  disse o presidente da CEI - não é um pântano lamacento onde tudo é insídia, suspeita, fraude e corrupção!"
O cardeal Bagnasco convidou a todos para reagir diante de uma visão exasperada e preocupada que gostaria de aumentar a confusão geral e levar-nos a não confiar mais em ninguém.
"Não devemos ceder – disse ele – a este desígnio demoníaco que lacera, desencoraja e divide”.
O arcebispo de Gênova explicou que apesar de exemplos e condutas desonestas, que aproveitam do dinheiro, do poder, da confiança das pessoas, até mesmo da fraqueza e dos medos: “nada deve roubar-nos a esperança nas nossas forças se a colocarmos juntas com sinceridade. Especialmente porque o Senhor veio à terra para estar conosco!”
O Presidente da CEI, portanto, lançou um apelo para que a voz dos sem voz, que se eleva de todas as partes do País, “encontre respostas mais eficazes em cada área de responsabilidade”.
E acrescentou : "Não é admissível que os jovens – que são o amanhã da Nação – encontrem a vida bloqueada porque não encontrem emprego: eles se viram, sempre mais se adaptam, mantém medianamente a confiança e a vontade de não desistir apesar dos exemplos nem sempre edificantes”.
Embora apreciando que a nível público se veem esforços e tentativas, sinais promissores, o purpurado disse que “os meses e os anos não esperam ninguém”.
"Está bem a reforma do Estado – continuou – mas esperamos que isso não vá em prejuízo do que a gente sente mais na própria pele, ou seja, o drama do trabalho”.
O cardeal Bagnasco também falou sobre a questão das prisões, afirmando que "o sistema prisional é sinal da civilização jurídica e não somente de um País” recordando que a Igreja católica está presente cada dia junto aos detidos por meio dos Capelães e dos voluntários, e encorajando todos os que cumprem uma pena a fazer deste tempo “uma ocasião de reflexão e de recuperação para lidar com o reingresso na sociedade”.
Para o purpurado a pessoa tem necessidade de trabalho para ter dignidade e sustento, mas também necessidade de laços seguros e estáveis, precisa constituir uma família. E também a sociedade precisa de um trabalho e de família: senão, que sociedade seria?
Por esta sua íntima natureza a família – concluiu o cardeal – deve ser apoiada por políticas mais fortes e eficazes, mesmo em ordem à natalidade, defesa das tentativas de enfraquecimento e promovidas a nível cultural e midiático sem discriminações ideológicas”.
Trad. T.S.





















sábado, 15 de fevereiro de 2014

O PROPÓSITO DE DEUS PARA A FAMÍLIA

O Propósito de Deus para a Família
"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Salmo 127:1).
Deus nos criou e designou o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas. Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelo conflito e arrasadas pela negligência e o abuso. O divórcio tornou-se uma palavra comum, significando miséria e dureza para os múltiplos milhões de suas vítimas. Muitos homens jamais aprenderam a ser esposos e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papéis dados por Deus. Pais que não têm nenhuma ideia de como preparar seus filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes. Outros simplesmente abandonam seu dever, deixando filhos sem qualquer preparação ou provisão.
Para muitas pessoas, hoje em dia, a frase familiar e confortadora "Lar, Doce Lar" não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada doce ou seguro num lar onde há o abuso, a traição e o abandono.
Haver uma solução? Poderemos evitar tais tragédias em nossas famílias? Poderão os casais jovens manter o brilho do amor e do otimismo décadas depois de fazerem os votos no casamento? Haverá esperança de recuperação dos terríveis erros do passado?
A resposta para todas estas perguntas é SIM! As soluções raramente são fáceis. A construção de lares sólidos não acontece por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos que ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra. Consideremos brevemente alguns princípios básicos ensinados na Bíblia sobre a família.
O Propósito Básico de Deus para a Família
Quando temos dificuldade com a geladeira, entendemos que o fabricante, que escreveu o manual do usuário, sabe mais sobre o aparelho do que nós. Lemos o manual para resolver o problema. Quando vemos tantos problemas nas famílias de hoje, só faz sentido que nosso Criador, que escreveu o "manual do usuário", sabe mais a respeito da família do que nós. Precisamos ler o manual para achar como construir e manter bons lares. Encontramos estas instruções na Bíblia. Ela nos guia em cada aspecto do serviço a ele, incluindo a realização de nossos papéis na família.
Casamento
A família começa com o casamento. Quando Deus criou Adão e Eva, ele revelou seu plano básico para o casamento: "Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne" (Gênesis 2:24). Este plano é claro. Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus. Ele citou este versículo e acrescentou: "Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mateus 19:6). Este casamento é uma relação para toda a vida. Somente a morte deve cortar este laço (Romanos 7:1-3).
Deus aprovou as relações sexuais somente dentro do casamento. Não há nada de mal ou impuro sobre as relações sexuais dentro de um casamento aprovado por Deus (Hebreus 13:4). Esposos e esposas têm a responsabilidade de satisfazer os desejos sexuais (dados por Deus) aos seus companheiros (1 Coríntios 7:1-5).
Todas as outras relações sexuais são sempre e absolutamente erradas. Relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são absolutamente proibidas por Deus (Romanos 1:24-27; 1 Coríntios 6:9-11). Deus não criou Adão e João. Ele fez uma mulher, Eva, como uma parceira apropriada para Adão. As relações sexuais antes do casamento, mesmo entre pessoas que pretendem se casar, são condenadas por Deus (1 Coríntios 7:1-2, 8-9; Gálatas 5:19). As relações sexuais extra-conjugais são também claramente proibidas (Hebreus 13:4).
Filhos
Casais assim unidos diante de Deus pelo casamento gozam o privilégio de terem filhos. Deus ordenou a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos (Gênesis 1:28; 9:1). Ainda que nem todas as pessoas tenham que se casar, e que nem todas terão filhos, é ainda o plano básico de Deus que os filhos nasçam dentro de famílias, completas com pai e mãe (1 Timóteo 5:14). Em lugar nenhum da Bíblia encontramos autorização para uma mulher ter relações sexuais para conceber um filho, antes ou sem casamento. A paternidade solteira, que está se tornando moda em nossa sociedade moderna é um afastamento do plano de Deus que terá sérias consequências para as gerações vindouras.
Papéis Dados por Deus Dentro da Família
Dentro desta estrutura do propósito Divino, consideremos os papéis que Deus atribuiu aos homens, mulheres e filhos.
Homens: Esposos e Pais
A responsabilidade dos esposos é bem resumida em Efésios 5:25: "Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela". O esposo tem que colocar as necessidades de sua esposa acima das suas próprias, mostrando devoção desprendida aos melhores interesses da "parte mais frágil" que necessita da sua proteção. Ele tem que trabalhar honestamente para prover as necessidades da família (2 Tessalonicenses 3:10-11; 1 Timóteo 5:8).
Os pais são especialmente instruídos por Deus para preparar seus filhos na instrução e na disciplina do Senhor (Efésios 6:4). Este é um trabalho sério e, às vezes, difícil, mas com resultados eternos! Os espíritos de seus filhos existirão eternamente, ou na presença de Deus ou separados dele. A maior meta de um pai para seus filhos deveria sempre ser a salvação eterna deles.
Mulheres: Esposas e Mães
Uma esposa tem um papel muito desafiador no plano de Deus. Ela tem que complementar seu esposo como uma auxiliar submissa, que partilha com ele as experiências da vida. As pressões da sociedade moderna para rejeitar a autoridade masculina não obstante, a mulher devota aceita seu papel como aquela que é cuidadosamente submissa ao seu esposo (Efésios 5:22-24; 1 Pedro 3:1-2). As mulheres de hoje em dia que rejeitam este papel dado por Deus estão na realidade difamando a palavra dele (Tito 2:5).
Deus instrui as mulheres para mostrarem terna afeição aos seus esposos e filhos, e a serem honestas e fiéis donas de casa (Tito 2:4-5). Apesar dos esforços de algumas pessoas para desvalorizar o papel das mulheres que são dedicadas a suas famílias, Deus tem em alta estima a mulher que é uma boa dona de casa e uma amorosa esposa e mãe. Tais mulheres devotas são também dignas de respeito e apreciação de seus esposos e filhos (Provérbios 31:11-12,28).
Filhos: Seguidores Obedientes
Deus também definiu o papel dos filhos. Paulo revelou em Efésios 6:1-2 que os filhos deverão:
1. Obedecer a seus pais. Deus colocou os pais nesta posição de autoridade e os filhos têm que respeitá-los. Muitas pessoas consideram a rebeldia de uma criança como uma parte comum e esperada do "crescimento", mas Deus coloca-a na lista com outros terríveis pecados contra ele (2 Timóteo 3:2-5).
2. Honrar seus pais. Os pais que sustentam, instruem e preparam seus filhos devem ser honrados. Jesus mostrou que esta honra inclui prover as necessidades dos pais idosos (Mateus 15:3-6).
Lares Piedosos Nestes Dias?
É, frequentemente, muito difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias construídas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Temos que estudar a Bíblia, aprender estes princípios, aplicá-los em nossas vidas, e ensiná-los aos nossos filhos e aos outros. Lembre-se, os benefícios serão eternos!
Você está construindo seu lar sobre a fundação da palavra de Deus?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

ELE ESTÁ SENTADO A DIREITA DE DEUS

Se você frequenta ou já frequentou alguma igreja cristã, é provável que tenha ouvido falar que Jesus está assentado à direita de Deus. Talvez você já tenha até colocado essa expressão em suas orações e, provavelmente, já cantou essa frase em alguma música.
Para alguns, pode ser que essa expressão seja apenas mais uma do vocabulário crentes, mas é muito mais do que isso.
Quando estava na terra como homem, Jesus declarou, perante o Sinédrio, que em breve Ele estaria assentado à direita de Deus. "Disse-lhes Jesus: Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do Homem assentado à direita do Todo-poderoso e vindo sobre as nuvens do céu." (Mateus 26:64)
Mas a dúvida permanece, por que assentado?
No Antigo Testamento, cumprindo as leis dadas por Deus a Israel, o sumo sacerdote deveria oferecer sacrifícios por ele e pelo povo, porque ambos cometiam pecados. "E disse Moisés a Arão: Chega-te ao altar e faze a tua expiação de pecado e o teu holocausto; e faze expiação por ti e pelo povo; depois, faze a oferta do povo e faze expiação por ele, como ordenou o Senhor." (Lv 9:7).
Isso era feito continuamente. Uma vez por ano, o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos, lugar em que estava a arca da aliança dentro do tabernáculo, e fazia expiação de pecados por ele e pelo povo de Israel, quando espargia sangue de touros e cabras sobre o propiciatório (peça de ouro sobre a arca da aliança) (Lv 16:2-16).
Propositalmente, não havia cadeira no Santo dos Santos,
porque o sumo sacerdote não descansava de sua atividade, já que deveria repetir os mesmos sacrifícios ano após ano.
No entanto, já não precisamos mais de um sumo sacerdote que ofereça sacrifícios por si mesmo porque foi nos dado um Sumo Sacerdote que, mesmo sem pecar, ofereceu-se como sacrifício definitivo por todos nós.
"E assim todo sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados; mas este (Jesus Cristo), havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, está assentado para sempre à destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés." (Hebreus 10:11-13).
Jesus está assentado à direita do Pai porque a obra Dele foi completa, então Ele pode descansar de sua obra, pois não precisa repeti-la nunca mais. Jesus foi o sacrifício perfeito oferecido como propiciação pelos nossos pecados e pelos de todo o mundo (1 Jo 2:2).
Não há pecado que não possa ser perdoado por Deus, se houver um arrependimento verdadeiro. Deus enviou Seu Filho para morrer em nosso lugar e perdoar todos os nossos pecados, "portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito." (Romanos 8:1).
Não aceite a acusação do inimigo em sua consciência, confesse seus erros, arrependa-se e aceite o perdão do seu Amigo, Mestre e Senhor Jesus.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

NUNCA MAIS PERMITA QUE ALGUÉM PISOTEIE O SEU JARDIM.NEM VOCÊ E NEM NINGUÉM!


Nunca mais permita que alguém pisoteie o seu jardim. Nem você e nem ninguém! Como vai o seu jardim? Está cuidando bem dele? Sua vida é o seu jardim e você sabe que precisa cuidar dela com todo o cuidado de um jardineiro atento e responsável. Todo tempo precisa saber que os canteiros podem estar cheios de flores lindas, coloridas.... Mas quem é o jardineiro e como deve ser o seu trabalho? E as flores quem são? O bom é saber que por mais que o seu jardim esteja infestado de ervas daninhas, matos e sujeiras, sempre é tempo de cuidar, de recomeçar, certo? O jardim é seu e vai ser sempre seu! Só você poderá cuidar dele. Que tipo de flores você vem plantando e colhendo ao longo de sua vida? Ou você faz o tipo que não dá importância às flores? Nunca mais permita que alguém pisoteie o seu jardim, viu? Ninguém! E nunca mais! Feliz é aquela criatura que descobre logo que sempre é tempo para refazer o seu jardim. Feliz é aquele que percebe que sempre é tempo para fazer alguma coisa diferente! Por que será que tem pessoas que acham que é tarde demais para mudar e continuam fazendo sempre a mesma coisa, mesmo conscientes de que não estão no melhor caminho? Talvez porque se sintam escravos do ontem enquanto deveriam focar suas vidas como donos de seu amanhã! O destino é seu! Sempre foi e sempre será, você quem faz o seu destino. E agora, escolha suas prioridades e aprenda a viver com elas. Bom Dia! Bom Divertimento! Feliz vida nova! "Tente não adiar mais a vida! A vida é sua e deve ser vivida com toda sua capacidade"
Mensagem de Luis Carlos Mazzini

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

COMO SE MANTER UM CASAMENTO


Primeiro, Deus tem que estar presente, em tudo o que forem fazer, deve ser absoluto dentro e fora de casa.
Deve haver respeito um com o outro, quando uma faísca do conflito aparecer... silêncio absoluto, nenhuma palavra, o silêncio por sí próprio já está falando.
Deve haver humildade, escutar e depois falar, olhar o seu conjugue como um lírio do campo e não como um colar de alho no pescoço, afinal... porque estão casados.
Em hipótese alguma deve haver COBRANÇA de ambas as partes, pois ela fere, machuca.
Sexo...faz parte porém não é tudo, mais vale um carinho com amor, do que fazer amor sem carinho.
Segredo...diante de tantas falsidades que encontramos, o segredo ajuda a nos mantermos imunes aos ataques de inveja e ciúme.
Rezar... tem que fazer parte do cotidiano na vida de um casal, mais ainda se tem filhos, a oração nos abre espaços e caminho até Deus, o Pai Celestial.
Entender e compreender o seu conjugue, acreditar e confiar que o mundo não os uniu por acaso, algum objetivo tem, ninguém passa na vida de alguém por acaso.
Quando acharem que tudo acabou, pense que um dia os seus olhos fitaram um ao outro e só está dando errado, porque um errou...não fale besteira, pense, reflita, não tome atitudes precipitadas.
Pois o amor adormeceu dentro do coração, e é preciso acordá-lo.
Filhos... você tem o que cria.
Se você plantar abacaxi, não vai colher banana.
Pense bem antes de tê-los
Lavar ou secar louças também pode ser aplicado por maridos.
Se vocês se encaixam nesses argumentos... melhorem, se não...
Se esforcem para tal.
Nilson Santos
1560567_586140628146053_862064733_ncasal115526356

DESEJO À VOCÊ


Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém